Viajando com animais de estimação: passo a passo

Como sabem, viajamos com a nossa corgi, Birita. Ela tem 2 anos e meio e nunca havia viajado de avião antes. Estávamos apreensivos com o processo todo mas principalmente em como ela ficaria, afinal são 11 horas de avião + trâmite de check in, imigração, etc.

Muitas pessoas nos pediram para detalhar como foi todo o processo, caso tenham mais alguma dúvida deixem nos comentários que responderemos.

Nessa ordem, seguimos os passos:

1. Avaliar política da Companhia Aérea

Viemos de Air Canada e um dos principais motivos foi, por na época que compramos a passagem, ser a única que fazia vôo direto SP - Toronto (agora a TAM também faz). As demais companhias fazem escala nos EUA e além disso envolver mais uma fronteira para passar com a nossa bichinha, envolveria principalmente mais tempo para ela dentro deo kennel.

A política para viagem com animal de estimação da Air Canada é bem clara e pode ser encontrada aqui. Basicamente animais que pesem, junto com o kennel, até 10 kilos, podem ir na cabine junto com os donos. Acima disso, sendo o máximo 32 kg (sempre peso do animal + kennel), vai no compartimento de bagagem. Não, não vai junto com as malas. É um compartimento específico climatizado, entre 19 e 25 graus celsius.

Nossa Birita pesa 12 kg. No início até pensamos eu até pensei em colocá-la de dieta para ela ir na cabine conosco, rs. Mas daí me convenci que ela ficaria extremamente desconfortável, pelos fatores que detalharei a seguir, relacionados ao tamanho da caixa de transporte.

2. Escolhendo o Kennel

Com orientação da criadora e também da veterinária seguimos duas regras:

  • Cachorro deve conseguir ficar "em pé" nas 4 patas, e
  • Deve conseguir dar uma volta em si mesmo.

Esses foram os critérios para escolha do tamanho da caixa. Outros fatores importantes é que não pode ter rodinhas e deve ser de uma marca confiável. Nós escolhemos a Petmate, modelo abaixo:

Não é o mais barato, porém por indicações compramos esta marca e modelo.

Recomendação: comprar o Kennel com a maior antecedência possível e colocá-lo na casa para que o bichinho se acostume. A Birita morria de medo no começo, aos poucos fomos colocando petiscos e brinquedos dentro, e ela começou a gostar. Acredito que esse tenha sido um fator importantíssimo para a viagem dela.

3. Reserva para o pet no vôo

Esta fase vem após a compra do Kennel pois para realizar a reserva você precisa passar para a companhia aéra as informações completas:

  • Peso do animal
  • Peso do Kennel
  • Medidas do Kennel (altura x largura x profundidade)

A Air Canada pede o2 dias úteis para confirmar se está OK e autorizar, vinculando à sua reserva. Eu fiz tanto a reserva quanto a confoirmação pelo telefone. Dá um frio na barriga pois você não fica com nenhum protocolo, então na semana da viagem liguei novamente para confirmar se a vaga dela estava garantida (vai que...). Neste momento não é feito nenhum pagamento e este é realizado apenas no momento do check in.

4. Emissão do CZI

Para viajar com seu animalzinho é necessária a emissão do CZI (Certificado Zoosanitário Internacional). Esta serviço é prestado pela Vigiagro, que fica dentro do Aeroporto de Guarulhos. Para isso, seguimos as etapas:

  • Agendamento: Cerca de duas semanas antes da viagem liguei na Vigiagro para o agendamento de dia e horário, para 4 dias antes da viagem;

  • Documentação: Providenciamos a documentação para levar no dia do agendamento, que consiste no relatório/atestado de saúde emitido por um veterinário (claro, com as informaçõe do animalzinho e também do veterinário) e a carteirinha de vacinação. A vacina de raiva não pode ter sido dada em menos de 30 dias, ou seja, vacine seu bichinho com pelo menos 2 meses de antecedência da viagem para garantir. Importante: Estes são os requisitos para o Canadá, que é um dos países mais simples (voltamos para a não burocracia já mencionada anteriormente). para os demais países, os requisitos podem ser encontrados no site da Vigiagro.

  • Ida à Vigiagro: Em posse de originais e cópias da documentação, comparecemos no dia e horário agendados ao guichê da Vigiagro, que fica dentro do Aeroporto de Guarulhos. Entregamos a documentação e preenchemos mais um documento com informações de contato, país de destino, etc. Saímos de lá com um protocolo.

  • Retorno à Vigiagro: Dois dias depois retornamos com o protocolo para retirar o CZI. Foi bem rápido e simples, apenas retirar, e qualquer pessoa pode fazer isso por você.

Importante: o CZI deve ser emitido, no máximo, 5 dias antes da data da viagem. Após este período não possui mais validade.

5. Dia da Viagem e Embarque

Deixamos a Birita bem cedinho na creche que ela já estava acostumada, e pedimos para que ela ficasse bem cansada. Nosso intuito era que ela chegasse a noite, no horário da viagem, o mais cansada possível. Nós optamos por não dar nenhum medicamento ou sedação, então a canseira ajudaria que ela dormisse mais durante o vôo.
Chegamos no aeroporto e entramos na fila normalmente, com nossas muitas malas + a Birita já dentro do Kennel. A atendente da Air Canada logo já identificou que havia um animal incluído na reserva (UFA!), solicitou o CZI e carteirinha de vacinação. Ela foi pesada antes de todas as malas, sempre junto com o Kennel. Após a pesagem minha irmã a levou para fora do aeroporto para dar uma volta (dentro do aeroporto deve ser mantida dentro do kennel), e nós seguimos com o check in, quando pagamos uma taxa de USD 107,00 para o transporte dela até Toronto. Ficamos com ela até um horário próximo do embarque, quando a levamos até o guiche especial para este fim, ou seja, ela não foi colocada na esteira com as malas!

6. Chegada ao Canadá

Chegamos, passamos pelo processo de imigração e emissão das nossas permissões e seguimos para retirada da Bagagem. Bem na frente da esteira havia uma sala aberta e ali estava ela. Nem preciso dizer que deu um alívio em ver que estava tudo bem!!! Ela estava um pouco assustada, mas logo que nos viu já foi voltando ao normal. Fomos direcionados a um local específico, que verificou toda a documentação novamente. Foi preenchido um novo relatório, que continha a data da vacina anti-rábica, nossos nomes, características da Birita, etc. Este foi utilizado apenas para o pagamento da taxa de CAD 33,00. Após este preenchimento e pagamento, fomos liberados.

Sedar ou não, eis a questão

Conversamos muito com a veterinária e criadora. Ambas contra a sedação. Basicamente por dois motivos principais: 1. Caso tenha turbulência, o cachorrinho sedado não tem como se segurar e pode acabar se machucando, batendo a cabeça, etc.; 2. Não há qualquer tipo de supervisão aos animais, portanto caso haja alguma reação à sedação esta não será percebida.

Eu espero que tenha ajudado aqueles que pretendem trazer seus peludos para o Canadá. Digo que valeu a pena, ela está pertinho da gente e adorando a vida nova!