Quero me mudar para o Canadá! Por onde começo?

Os últimos acontecimentos no Brasil foram a “gota d'água” para muita gente que já pensava em sair do país há algum tempo. Nos últimos dias, dezenas de pessoas (amigos, conhecidos, ex colegas de trabalho, amigos de amigos) nos procuraram para saber o que precisariam para mudar para o Canadá. Decidimos, então, fazer esse post e consolidar o que, em nosso entendimento, seriam os primeiros passos para quem tomou essa importante decisão.

1. Entenda o processo de imigração e trace sua (s) estrategia (s)

Se você deseja de fato se mudar, construir uma vida nova, é essencial que entenda o processo de imigração. O Canadá hoje oferece diversos programas de imigração, mas nosso conselho é focar no Express Entry, que não é um programa de imigração em si, mas sim uma ferramente que centraliza 3 programas federais e alguns outros provinciais. Os federais são: Federal Skilled Worker, Federal Skilled Trader e Canadian Experience Class. Para você conseguir se cadastrar no sistema do Express Entry, você deve ter o requisito mínimo e se enquadrar em pelo menos um dos programas que este sistema gerencia. Para checar sua eligibilidade, o site do CIC é a fonte mais segura e confiável, a ferramente oficial pode ser encontrada [aqui].

Me enquadro em um dos programas, e agora?

Agora você já pode se cadastrar no Express Entry, mas para ter chances de ser chamado tem que ter uma boa pontuação. Os fatores que influenciam na pontuação são idade, experiência profissional, nível acadêmico e nível de inglês/francês. A tabela oficial de pontuação pode ser encontrada aqui.
Para realizar o cadastro você precisa apenas os diplomas validados por uma instituição aceita pelo CIC e do IELTS, os demais documentos são enviados posteriormente.

E o que é uma pontuação boa?

Bem, essa é uma pergunta difícil de responder, e dúvida de muitos. Na nossa opinião, se você tiver uma pontuação maior que 450, que foi a pontuação mínima ate hoje, você teria boas chances de ser chamado. Porém, com pontuação acima de 400 você abre algumas outras portas, como a nomeação provincial de Ontario.

Não tenho a pontuacao necessária ou não quero esperar o processo no Brasil, como fazer?

Esse foi o nosso caso. Estávamos com pressa de vir e não queríamos esperar o processo ainda estando no Brasil. Portanto, a opção é a famosa “vinda atraves de estudos”. Como já comentamos em posts anteriores, uma das grandes vantagens de vir para o Canadá em casal é que enquanto um estuda full time (curso superior), o outro automaticamente recebe o visto de trabalho aberto. Isso ajudo muito não apenas financeiramente, mas enquanto o conjuge trabalha (em um dos NOCs 0, A ou B), mais pontos são acumulados para o perfil do casal, e as oportunidades vão aparecendo.

Não tenho inglês necessário para ingressar diretamente no College, e agora?

Essa foi a pergunta de uma amiga minha, e a resposta é: Pathway. Existe um programa comum em escolas de inglês aqui, em parcerias com Colleges, focado nesses alunos. Nós nao temos experiência nesse quesito, mas nossos amigos do Gauchos no Canada fizeram um post super detalhado sobre o tema e você pode encontrar aqui.

2. Estude inglês

Independente do caminho que voce vai seguir, comece estudando inglês agora, já. Já falamos aqui a nossa opinião sobre a importância do inglês, mas é sempre bom reforçar. Vejo muita gente (muita mesmo) que chega aqui com o inglês bem mais ou menos, com a justificativa de que é melhor “aprender na pratica”. Mas vamos lá, pensem comigo. Se você não tem inglês, terá uma dificuldade muito maior de conseguir emprego aqui, por exemplo. Portanto, como aprenderá na prática? Assistindo TV em inglês em casa? Não acreditamos nisso. Se dedique o máximo que você puder, desde já. Ele será essencial para atingir o sucesso aqui e encurtar alguns caminhos que geram ansiedade e incertezas no começo, ajudando muito na adaptação.

Além dessa questão prática do inglês para o dia a dia e emprego, nao podemos esquecer do IELTS. Sinto lhe informar, mas em algum momento essa provinha chata cruzará o seu caminho, e quando ela chegar, quanto melhor estiver o seu inglês, menos dificuldade você terá. Sobre o IELTS, importante dizer que caso você decida vir através de estudos, provavelmente precisará prestar o IELTS Academic (ou fazer o pathway como mencionado acima). Já se você pretende aplicar para os processos de imigração, o módulo aceito é o General Training.

3. Guarde dinheiro

O planejamento financeiro é um dos principais alicerces desse grande projeto chamado imigração. Comentamos nesse post aqui nossos cálculos sobre os valores aproximados necessários para vir estudar. Porém, não vamos negar: quanto mais preparado financeiramente você estiver, melhor. Isso vai te dar uma tranquilidade imensa na vinda, na busca por emprego, e nos próximos passos que você dará nas terras geladas. Imigrar é um projeto caro desde o começo. Custos com traduções, validações de diplomas, IELTS, College, mudança, possíveis aluguéis adiantados, etc. Portanto, corte os seus luxos agora e comece a juntar, isso foi o que fizemos e não nos arrependemos.
Vale destacar que tanto para o Express Entry quanto para o visto de estudos um dos requisitos é ter um valor mínimo em conta comprovado (para o visto de estudos você pode ter um sponsor). Não ter esse valor torna o candidato automaticamente inelegível aos processos. Informações sobre os valores necessários aqui .

4. Converse com algum consultor certificado

Muita gente faz o processo inteiro sozinho e da certo. Porém, desde o começo nós optamos por contratar uma consultora certificada pelo governo canadense, a Marilene Quintana da E-visa Immigration. Mesmo que você decida não fazer o processo inteiro com uma consultoria, uma consulta inicial vale muito a pena. Este profissional poderá analisar o seu perfil em detalhes e traçar a melhor forma de imigração para você, apresentando alternativas que talvez não sejam conhecidas. Nós decidimos investir e fazer o processo inteiro com ela e ter maior tranquilidade, pois enxergamos isso como um projeto de vida.
Hoje em dia há muita informação online sobre o tema, mas acho importante dizer que essas são em grande maioria baseadas nas experiências de cada um (como é o nosso caso), portanto por mais que você leia e se informe, isso não exclui a importância de um professional especializado olhando o seu caso.
Importante: antes de contratar qualquer serviço referente a imigração, verifique se o profissional possui a certificação necessária para prestar tal serviço. Prestá-lo sem essa certificação é proibido pelo governo canadense. Você pode verificar isso em uma busca rápida no site do RCIC.

5. Planeje-se..e muito!

Planejamento nunca é demais! Coloque em um papel o seu plano A e B de imigração, desenhe o cenarios, faça checklists. As pessoas que conheci que são super bem planejadas tiveram uma adaptação bem mais tranquila por aqui, pois se anteciparam a muitas questões. Pense nos possíveis cenários, principalmente nos difíceis, e tenha saída para eles. Se antecipe e esteja preparado!

Espero que o post ajude a dar uma ideia geral dos primeiros passos.
Você tem algo a acrescentar? Deixe nos comentarios!