Nosso processo de imigração parte II - Pontuação e a importância do IELTS

Como prometi no post de ontem, hoje falarei com mais detalhes sobre o nosso perfil e pontuação. Muita gente ficou surpresa em como nossa nota aumentou apenas com a melhora da nota do IELTS, sem mudar nenhum outro critério.

Antes de mais nada, nosso perfil:

Eu como aplicante principal: 29 anos, Bacharel e pós graduação validados pelo WES, bom inglês, sem francês, sem experiência canadense, 10 anos de experiência profissional no Brasil em NOC 0, A ou B.

Cônjuge: 30 anos, Bacharel incompleto (não somou pontos), inglês intermediário, sem experiência canadense, mais de 10 anos de experiência profissional no Brasil em NOC 0, A ou B. Em nossa aplicação original do EE (março/2015), contabilizamos 357 pontos, divididos da seguinte forma:

Sabíamos que eu refazendo o IELTS e conseguindo o CLB 9, nossa nota aumentaria significativamente. Mas porque? Explicando:
(caso você tenha dúvidas sobre a correspondência da nota do IELTS para CLB, clique aqui.)

First Official Language - A tabela official do CIC é a seguinte:

Eu possuía 76 pontos. Caso eu conseguisse CLB 9 em todas as habilidades, já subiria para 116, aumentando assim 40 pontos. Meu novo IELTS foi melhor do que o esperado e consegui CLB9 em duas habilidades e CLB 10 em outras duas. Dessa forma, pulei de 76 para 122 pontos! 46 pontos a mais.
Você deve estar pensando que a conta não fecha para a nossa pontuação em que fomos chamados, 453. Pois é, e daí entra o “pulo do gato”, também chamado de Skill Transferability Factors. Essa nomenclatura esquisita nada mais são, no meu entendimento amador, pontos “extras” caso você tenha duas fortes qualificações que se cruzam (no olhar da imigração). No nosso caso, essas qualificações foram:

1) Dois programas “post secondary” validados pelo WES – Bacharel e Pós graduação

2) 3 anos ou mais de experiência no exterior (aqui vale ressaltar que experiência no exterior é qualquer experiência fora do Canadá, nos NOCs 0, A ou B)

Esses dois fatores acima, quando combinados com o CLB9 em todas as habilidades, te garantem un bons (na verdade excelentes) pontos extras. Dessa forma, com a nova nota do IELTS nossa pontuação ficou:

Como podem ver, o fato de estarmos no Canada em nada influenciou nossa pontuação. Claro que estando aqui usei mais o inglês e isso me ajudou a conseguir a nota no IELTS.
No final das contas, foi a nota do IELTS que nos tornou candidatos dentro da nota de corte. Esse é um dos motivos pelos quais sempre reforçamos como acreditamos na fluência do idioma para ter sucesso aqui e também nos programas de imigração.

Aproveito para deixar algumas dicas:

Aulas de inglês particulares, presenciais ou Skype: www.evolvelanguagues.com.br (foi onde o Willian fez aulas antes de vir, teve uma excelente evolução. As aulas são elaboradas de acordo com o perfil de cada aluno.

Aulas específicas para o IELTS: www.goielts.com.br (onde eu fiz as aulas voltadas para a prova)

Cálculos de pontos do Express Entry (free assessment): www.evisaimmigration.com (tabelas acima geradas por eles durante nosso processo)

Alguma dúvida que deveria começar a estudar inglês ?

O que mais você quer saber sobre nosso processo? Deixe nos comentários!